homem-quer-emagrecer-perder-peso-dicas-musculacao

“Perder peso é muito difícil, quase impossível para mim”…

“Sempre fui gordinho (a) ”…

“Por mais que eu tente, no final não vai dar certo e voltarei a estaca zero”…

“Estou cansado (a) demais para pensar nisso”…

 

Quem nunca teve um desses pensamentos ou outros similares? Quando pensamos assim, estamos trabalhando contra nós mesmos e boicotando o processo de mudança de estilo de vida, de ser mais saudável ou de emagrecer. Todos esses pesamentos fazem com que atingir seus objetivos se tornem mais distantes. Mas como agir para que sua mente seja uma aliada neste processo? Como trabalhar a seu favor?

Pautada nos fundamentos da Terapia Cognitivo-Comportamental (TCC) e em sua experiência clínica, a Drª. Judith Beck, autora do livro “Pense Magro” nos apresenta um programa de treinamento mental de 10 semanas para reestruturar a maneira como você lida com você mesmo e com a comida:

 

Treinamento com 10 dicas para reestruturar a maneira de lidar com você e com a sua alimentação!

1)Liste as vantagens de emagrecer: faça uma lista e coloque em um lugar visível, com os recursos tecnológicos da atualidade você poderá fazer isso no seu telefone celular. Você pode até pensar que já sabe o porque quer emagrecer “de cabeça” mas fazer a lista faz diferença, porque você tornará mais forte para dominar os pensamentos sabotadores, pois verá os motivos. Leia pelo menos uma fez ao dia.

Segue um exemplo da lista de Paulo* (nome fictício).

– Vou gostar mais da minha aparência

–  Vou conseguir usar roupas com numeração menor

–  Vou gostar de me olhar no espelho

–  Vou me sentir melhor fisicamente

–  Vou gostar mais do meu corpo

–  Vou cuidar mais de mim

–  Sentirei-me bem ao subir na balança

–  Sentirei que sou forte e determinado

 

2) – Escolha duas dietas razoáveis: temos sempre que ter um “plano B”.

 

3) – Sente-se para comer: você pode até pensar “nossa, mas eu como sentado”, agora lembre-se de quando você pega algo na geladeira e leva até a boca antes de se sentar…ou come ali, em frente à geladeira mesmo…ou enquanto toma um sorvete passeando pelo shopping ou parque. Aposto que se lembrou de várias situações em que você come em pé. Quando comemos sentados temos muito mais consciência do que estamos comendo do que quando nos alimentamos em pé. Além disso, o organismo demora cerca de 20 minutos para entender que está alimentado. Por isso, não importa, que seja uma bala, sente-se para degustá-la.

 

4) – Elogie-se: muitas vezes temos o péssimo defeito de nos punirmos exageradamente por um erro e não nos elogiarmos quando conseguimos algo. Dessa forma, o quarto passo vem nos ensinar a nos elogiar sempre que conseguirmos fazer o que precisamos. Pequenas frases, como: “Certo!”, “muito bem!”, “Parabéns!” servem de estímulo para nos fortalecer.

 

5)- Alimente-se devagar e conscientemente. Bom, agora que você já aprendeu comer sentado, talvez esse passo seja mais fácil.

 

6) – Tenha profissionais técnicos de referência – com ajuda fica muito mais fácil, invista em uma equipe multiprofissional: educador físico, psicólogo, nutricionista e o médico que orientarão você nesse novo aprendizado.

 

7) – Organize o ambiente: É muito mais difícil resistir aos alimentos quando eles estão disponíveis. Você não precisa “limpar” a geladeira, mas adote a estratégia de deixar os alimentos permitidos à mostra e os não permitidos em lugares mais difíceis de serem visualizados. Isso vale para a casa e para o trabalho.

 

 

8)- Arrume tempo e energia: um dos grande vilões que fazem a dieta desandar é o tempo, simplesmente achamos que não temos tempo para nos preocupar com o que comer, por isso pegamos aquele “salgado” ou “pão com qualquer coisa” e engolimos sem sentir. Outro ponto é a energia, o velho pensamento sabotador do tipo “estou tão cansado que mereço comer o que quiser”. Se você relembrar da sua lista sobre as vantagens de emagrecer e encarar esse processo como um tratamento de saúde certamente organizará seu tempo e irá distribuir sua  energia de modo a incluir a rotina alimentar saudável no seu dia a dia.

 

9) – Escolha um plano de exercícios: ah sim, é verdade, sem atividade física não dá! Você precisa escolher algo para movimentar o seu corpo, não necessariamente uma academia, pois já posso ouvir os seus pensamentos “eu odeio academia”, mas você pode caminhar, dançar, pular corda, fazer qualquer coisa que coloque seu corpo em movimento e tire-o da inércia.

 

10)   – Estabeleça metas realistas: Você não engordou todos os quilos que tem hoje de um dia para o outro, dessa forma também não vai eliminá-los na mesma proporção, por isso. A Drª Beck sugere que possamos emagrecer 2 kg de cada vez. Mesmo que você tenha que eliminar 20 kg, diga minha meta é emagrecer 2 kg, depois que conseguir eliminar estes, estabeleça uma nova meta de perder mais 2. Assim fica mais fácil.

 

Desejo que essas dicas ajudem você a  aprender um novo  jeito de ser e comportar-se, e desde já desejo sucesso na sua decisão de cuidar-se.

 

 

Colaborou:  Teresa Cristina Martins Silva

 

teresa cristina 2

Teresa Cristina Martins, Psicóloga Clínica, Mestre em Psicologia Aplicada e Practitioner em Programação Neurolinguística.

Teresa também está no blog www.clinicaacolher.com

 

 

 

1 COMMENT

LEAVE A REPLY