Minha família sempre me proporcionou uma vida legal. Nunca faltou nada, pelo contrário. Sempre fui super comunicativo e mas tinha vergonha de algumas coisas.

Lá pelos meus 19 anos, tivemos uma campanha na igreja e eu me desafiei a ir além do que eu tinha proposto. Não era pelo dinheiro em si, mas para quebrar aquele orgulho.

Vários jovens da igreja, principalmente, as moças, estavam saindo às ruas pra vender bombons e trufas. Vi aí a oportunidade de quebrar aquilo que incomodava: vender coisas na rua.

E aí, de cara limpa? Não tinha coragem inicialmente, mas me lancei. Aluguei uma fantasia de Batman e bora lá. Além de esconder um pouco de mim, era uma estratégia pra bombar as vendas de bombons. E deu certo! Eu vendia uma boa quantidade, pelo inusitado, um Batman vendendo chocolate nas ruas. Mas você acha que Deus ia deixar isso acontecer?

Claro que não! No último dia de vendas (durou 1 semana), fomos eu e mais algumas garotas, vender o bombom em um evento de uma igreja evangélica tradicional. Ficamos na porta da igreja, na calçada e eis que vem “um ministro/porteiro” e acaba com a minha racinha humana. Ele usou palavras pesadas, me chamou de vagabundo, “de usado de Satanás”, quem era eu pra estar na calçada da igreja vendendo doces. Algo  totalmente desnecessário.

Naquele dia, depois de vender bombons sábado inteiro, eu fui as lágrimas na frente daquele senhor. Eu chorei pela humilhação, mas chorei por ele também, por tamanha ignorância. Mas cada palavra dura, foi quebrando meu orgulho, até que eu tirei aquela máscara de Batman, e deixei ele falar cada crueldade. Sai dali chorsndo, vendi poucas unidades e fui pra casa, com meu orgulho no chão e a missão cumprida. Vendi tudo que precisava, e me vi em cacos sendo refeito pelo amor de Deus.

Não blasfemei, nem duvidei, eu cri que Deus estava comigo o tempo todo e que fiz do limão uma limonada. Aproveite cada pedra que ele lançou, para quebrar e jogar por terra toda aquela vergonha e orgulho. Hoje não tenho vergonha de nada. O que há demais em vender? Aff!!! Cada paradigma que criamos, né? Depois disso…tudo se fez diferente.

Na minha igreja, vendo galinhada pra ajudar nas obras, vendo hot dog, e olha que sou um vendedor super animado. Grito igual os kras na feira. “Olha o cachorro quenteeee….o autêntico hot dog dos Estados Unidos” ou “Eu não acredito que a senhora tá sentindo o cheiro dessa galinhada e não vai comprar da gente. É a melhor galinhada da cidade, tem aquele peito de frango, aquele tutu que o queijo derrete na boca”, morro de rir de mim mesmo.

Tá vendo? É encarar seu problema de frente,  confrontar suas limitações e mostrar que você é maior que o seu limite. Vergonha pra quê, Senhor?

Eu vou longe e você? Tenho certeza que também. Muitas vezes o problema, esconde um grande talento ou negócio. A vergonha de vender escondia o meu melhor lado, o de vendedor. Hoje é isso que faço na vida. Confrente-se também! Se desafie. Você vai arrebentar!

No post de amanhã vou falar sobre uma nova estratégia que o mal usou pra me derrubar. Como pude dialogar com aquilo? Te espero amanhã!

 

 

 

 

LEAVE A REPLY