A partir de agora toda semana vou jogar alguém no Google pra falar das suas preferências na hora de cuidar da sua imagem.

Pra começar muito bem, uma pessoa que admiro enquanto pessoa e profissional: o Fábio Ramalho, atualmente repórter no Programa da Tarde. Ele também sempre apresenta o Programa da Tarde e já apresentou a edição do Hoje em Dia no Rio.

O Fábio é a cara do homem moderno. É descolado, jovem e faz boas escolhas na hora de se vestir. Vamos conhecer um pouco mais sobre ele?

entrevista-apresentador-fabio-ramalho-record-programa-tarde

 

 

JOGADO NO GOOGLE: FÁBIO RAMALHO!

fabio-ramalho-looks-jogado-no-google-blogueiro-bruno-figueredo

Bruno: Qual é o seu nome completo?

Fábio Ramalho: Fábio Ramalho de Araújo e Silva. Mas em homenagem ao meu avô materno ( e a mãe por tabela) uso apenas o “Ramalho” como nome profissional / artístico. No trabalho muita gente nem me chama de Fábio. “Ramalho” é o que escuto mais!

 

Bruno: Qual é o Tamanho de camisa?

Fábio Ramalho: Aí depende muito! Tem camisas tipo “T-shirt” onde até M “entra” e fica bem. O normal é G. Quando são camisas sociais eu fico entre 5 e 6. Tem aquelas pólos tipo Lacoste, Hugo Boss ou Tommy que até a número 6 vai para o armário. Rs.

 

Bruno: Qual é o tamanho de calça?

Fábio Ramalho: Essa é outra numeração que varia muito. Mas a média é, sem dúvida nenhuma, 42.

 

fabio-ramalho-look-jogado-no-google-blogueiro-bruno-figueredo

Bruno: Qual é o número de sapato? E o sapato preferido?

Fábio Ramalho: 42 sem exceção, desde tênis esportivo até sociais. O que mais tem na sapateira do meu armário? Sapatênis! São fáceis de combinar, e “multi-uso”! Um sapatênis te deixa elegante numa balada, num almoço informal de fim de semana ou como figurino nas minhas gravações.

 

Bruno: Qual o seu perfume preferido?

Fábio Ramalho: BOSS (Bottled) é o perfume do dia a dia. Foi esse perfume que me proporcionou um dos momentos mais engraçados da minha carreira. Fui entrevistar a Katy Perry e ao final da entrevista ela perguntou qual perfume gostoso era aquele que estava usando. Eu disse que era da Boss. Depois, ao entrevistá-la novamente, lembrei o fato e foi hilário: ela disse que eu era o repórter mais cheiroso que a havia entrevistado! Precisa dizer que ganhei o dia? Ganhei o dia, a semana, o ano! Mais de ano depois que a matéria foi ao ar ainda ganhei alguns vidros do perfume da BOSS pelo “merchandising” gratuito! Rs Para a noite uso invariavelmente o “Acqua di Gio” da Giorgio Armani.

 

ASSISTA AO VÍDEO.

KATY PERRY DIZ QUE FÁBIO RAMALHO É O REPÓRTER MAIS CHEIROSO DO MUNDO!

 

 

Bruno: Qual é o óculos preferido?

Fábio Ramalho: Eu juro que tento deixar pra trás o péssimo hábito de perder óculos, mas as vezes é impossível evitar. No dia a dia gosto muito dos óculos da Ray-Ban. 

fabio-ramalho-oculos-jogado-no-google-blogueiro-bruno-figueredo

 

Bruno: O Jeans preferido?

Fábio Ramalho: Jeans acho que é um parto pra comprar. Nem sempre a numeração é garantia de que vai ajustar bem. Eu tenho muitas calças da Doc Dog que também ajuda com o figurino para a TV. Mas aquela calça jeans tradicional, básica, estilo “pau pra toda obra” da Levis (501) sempre resolve qualquer parada.

 

 

Bruno: E o Relógio preferido?

Fábio Ramalho: Depois de casacos e jaquetas, essa é uma paixão. Sou colecionador e já fui franqueado de uma marca de relógios no Rio, a “Touch”. Hoje tenho cerca de 60 modelos. Mas curto relógios de qualquer marca. Tenho peças desde colecionáveis até aqueles relógios de camelô mesmo, comprados a 20 reais! Eu curto máquina e modelo. De onde vem é o de menos. Pra não esquecer, como bom mergulhador de cilindro, curto marcas que tenham relógio de mergulho, como a Citzen. O que tenho da Touch segura bem a onde a profundidades de até 45 metros sem estresse.

fabio-ramalho-relogio-jogado-no-google-blogueiro-bruno-figueredo

 

Bruno: Quais são as marcas de roupas preferidas?

Fábio Ramalho: Tenho uma “tara” por jaquetas e casacos. Nesse ponto a DIESEL e a HUGO BOSS são imbatíveis. Mas tenho a minha “jaqueta da sorte” que é da DOC DOG, que foi a roupa usada no boneco do “Fábio Ramalho” que foi criado pelo artista plástico Marcus Baby, conhecido por imortalizar cantores, celebridades e apresentadores em seus bonecos. Detalhe: ele não dá, não empresta e não vende o boneco que faz! Eu até hoje só vi foto desse boneco, mas já soube que uma fã tentou comprar oferecendo a bagatela de 10 mil reais! Eita! Quando o assunto é camisa social para gravar minhas matérias ou mesmo apresentar, opto sempre por algo elegante e descolado, como as camisas ENRICO ROSSI, ou da MEPASE. Ambas me patrocinam, mas se não não fossem legais eu honestamente diria “não, obrigado”! Mas é exatamente o contrário: as camisas são ótimas!

Fábio Ramalho boneco by Marcus Baby

 

Bruno: Você usa algo no cabelo?

Fábio Ramalho: Uso pomada ou spray fixador para fazer um leve “topetinho”. Aprendi um truque na maquiagem da Record que é um produto tipo um “pozinho” escuro que molda e disfarça pontos de calvície. Mas não tenho paranóias com isso: as entradas estão gritando e acho que fazem parte. Vou fazer 39 anos!

 

 

Bruno: Qual peça no visual é a preferida?

Fábio Ramalho: Essa não tem dúvida: jaqueta, casaco. Acho que quando está frio uma T-shirt, por mais básica que seja, ganha vida quando tem uma jaqueta bacana por cima. Tenho pelo menos umas 12 jaquetas! Foi com uma jaqueta azul que o artista plástico Marcus Baby – famoso por fazer bonecos de celebridades – me “imortalizou” em sua coleção. Como disse antes, eu só vi esse boneco por foto. Mesmo já tendo uma fã oferecido 10 mil no boneco, ele não dá, não vende não empresta. Ele já disse NÃO para a saudosa “Hebe Camargo” por exemplo! Rs A jaqueta azul ganhou o apelido de “jaqueta da sorte” porque eu estava exatamente com ela quando levei, durante uma gravação, uma fã chamada Camila, de São Paulo, que tinha o sonho de conhecer o Luan Santana e o programa decidiu realizar esse sonho. Não sei se foi influência da jaqueta, mas toda vez que eu uso, realmente acontece alguma coisa boa. Será? Rs

 

 

Bruno: Tem acessório preferido?

Fábio Ramalho: Hoje considero relógio muito mais um acessório de estilo do que objeto para literalmente ver as horas. O horário sempre confiro no celular, um vício que não sai da minha mão! Tenho algumas pulseiras de uma artista plástica do Rio. Mas uso quase nunca. Não curto acessórios que possam chamar a atenção e tirar o foco do telespectador do que quero falar. Tenho também um anel que ganhei de uma fã, a Juliana. Como prova de carinho ela me deu um anel de família, que só os que são amados por eles recebem. Muito privilégio, né? Adorei o presente que nem uso: fica guardado no cofre de tão especial! Rs

fabio-ramalho-hoje-em-dia-entrevista-record

 

Bruno: Você compra roupas sozinho ou acompanhado? Se acompanhado, com quem?

Fábio Ramalho: Eu compro muita roupa quando viajo para fora do Brasil. Normalmente viajo pelo menos uma vez por ano para paraísos de mergulho no Caribe por amar o esporte. Normalmente esses lugares também são paraísos fiscais, livres de impostos. Isso agregado a algumas marcas de freeshop, fazem com que eu abasteça o guarda roupas fora, por uma questão de economia. As viagens internacionais a trabalho ajudam. Me lembro que em Dubai comprei uma das jaquetas que mais gosto também da Dolce Gabana. Mas não sou fresco para marcas. Tem que ser bonito e vestir bem! Agora, quando estou no Rio ou em São Paulo, tenho a “mamata” dos figurinistas Cynrhia Gomes (RJ) e Milton Bruno (SP) que escolhem pra mim e compram. Mas aí não é “minha”. É do acervo do figurino da Record. As vezes as lojas dão, claro, alguns presentes, principalmente quando apresento o “Programa da Tarde” eventualmente substituído o Britto Jr. Toda marca gosta de ver seu produto na televisão, né? Eu não economizo no agradecimento nas redes sociais a quem me dá roupas, como a camisaria “Enrico Rossi” e a “Mepase” por exemplo, que tem tudo a ver com meu estilo.

 

Bruno: Algo que jamais usaria?

Fábio Ramalho: Eu não sou muito fã de bermuda com a barra dobrada. Tenho visto muita gente usando e já me vestiram assim uma vez. Eu desdobrei. Não sei explicar, simplesmente não gosto. Mas fica perfeito em outras pessoas.

 

 

Bruno: Qual atividade física que pratica?

Fábio Ramalho: Eu ando 90% ocioso. Mas quando veem as férias não tem erro. Como dizemos entre mergulhadores, eu tenho que “molhar o equipamento”. Procuro roteiros que envolvam águas calmas e transparentes. Meus “paraísos pessoais” são Barbados e Bahamas.

 

 

Bruno: Uma dica saudável?

Fábio Ramalho: Vamos mergulhar? Um mergulho de 45 minutos você chega a queimar 500 calorias!! Não é à toa que todos voltam ao barco exaustos. Mas depois de 20 ou 30 minutinhos de descanso, começa tudo de novo.

Obrigado pelo carinho em me escolher para a entrevista.

Foi um prazer, Fábio Ramalho! Ele é a simplicidade e simpatia em pessoa, né galera?

Olha só o estilo do Garoto:

 

fabio-ramalho-estilo-jogado-no-google-blogueiro-bruno-figueredo

 


Fábio mais uma vez muuuito obrigado por participar comigo da estreia de sessão “Jogado no Google”. Desejo ainda mais sucesso à você.

 

 

E você, gostou da entrevista? Então, compartilhe!

 

LEAVE A REPLY