Infelizmente quando as pessoas estão na carne elas tiram o seu foco de fazer a vontade de Deus para fazer à sua própria vontade. E eu não estou me referindo as pessoas que estão vivendo no mundo.

Temos que vigiar todos os dias e todas as noites para não sairmos do foco. Diferente do mercado de trabalho e do mundo lá fora, na obra de Deus não pode haver competitividade, mas infelizmente, muitos que estão na carne, têm maus olhos e passam a tratar as coisas sagradas como sendo naturais.

Quando me mudei pra Uberlândia, logo me tornei o líder do grupo jovem da Catedral. E quando digo logo, foi logo mesmo. Com 15 dias que eu estava lá, já assumi essa responsabilidade pela misericórdia de Deus.

Trabalhar com jovens talvez seja a missão mais árdua dentro da igreja. Eles são inconstantes, têm muitos conflitos e são sentimentais. Caraca, uma bela missão, porém muito desafiadora. Mas além de lidar com jovens viciados, em processo de libertação, em processo de desintoxicação do mundo, muitas vezes temos que lidar com aqueles que estão fora do espírito e assim estão vivendo na carnalidade, embora dentro da igreja, com o espírito do mundo, o espírito de competitividade.

Neste período, dois obreiros na carne faziam de tudo pra me tirar do espírito e da liderança. Eles armavam situações, queriam me cobrar por coisas que eu não tinha disponibilidade de tempo para fazer e pra ser uma coisa que eu não era. Não é porque à você foi confiado um cargo que você deve mudar sua essência, pelo contrário, foi essa essência que o levou até ali. O seu comportamento pode até mudar, afinal, agora você terá muitas pessoas que vão se espelhar em você.

Esse dois sujeitos que citei acima, não trabalhavam e ficavam boa parte do tempo na igreja, mas infelizmente, estavam na carne. É o que sempre ouvimos. Não é quantidade de tempo que você passa na igreja que faz a diferença, mas a qualidade do tempo que você passa lá. Conheço pessoas que vão na igreja todos os dias e estão envolvidas com várias atividades, mas não empenham fé, devoção e carinho. Elas fazem para aparecer para o homem. E aí, o fruto do trabalho vai ser carnal. Porque os nascidos de Deus geram frutos espirituais, e os nascidos da carne geram obras carnais, que são: porfias, discussões, divisões, fofocas, facções, invejas, ciúmes. Percebe que algumas pessoas sempre estão metidas em confusões e problemas, mesmo dentro da igreja.

E conheço também pessoas que vão na igreja duas vezes por semana, talvez apenas no domingo, mas elas fazem total diferença. Meu caro, avalie qual é o seu caso. Se você pode ir todos os dias, ótimo. Mas não vá por ir. Vá com amor, na fé e na santidade. Cuidado com o piloto automático, você não é um operador de telemarketing, você é um soldado a favor do reino.

Por ser muito jovem, com 17 anos nessa época do episódio com esses dois obreiros me enchendo a paciência, muitas vezes eu retrucava, dava mal resposta tentando colocar eles no lugar que eles deveriam ficar. Coisas da juventude. Muitas vezes eu joguei o jogo deles e saia do espírito, mas sempre eu me voltava pra Deus pedindo perdão e sabedoria. Se fosse hoje, eu faria diferente, mas a maturidade vem com o tempo e com as experiências. Ore pelos que te perseguem. Não responda eles. Fique em silêncio, afinal, é Deus que te justifica. Deixe o tempo mostrar quem é quem.

Não entre no jogo da carnalidade e da competitividade. Não estamos no ambiente natural, mas no ambiente espiritual, e devemos combater contra as forças espirituais do mal, e não contra as pessoas. Não perca o seu precioso tempo brigando ou maquinando contra servos de Deus. Talvez é você que esteja carnalidade. Arrependa-se, peça misericórdia e perdão. Depois, siga em frente, na fé e no espírito.

Se nem Jesus que era perfeito agradou à todos, imagina nós, seres tão falhos. Nossa luta é contra o mundo e as forças espirituais do mal. Temos que lutar pelas almas, e não por um cargo na igreja. Isso é tão passageiro, caraca! A vida é uma atribuição temporária, muito rápida, então, priorize a próxima etapa, que é onde viveremos toda a eternidade.

Quem se importa com título está totalmente na carne. Temos que nos importar em servir o nosso Deus e contribuir com sua obra. Não somos seres com uniformes ou crachás. O mal não está nem aí para crachá ou para a roupa que você, mas com a sua alma. Cuidado! Talvez sua roupa está linda, seu crachá maravilhoso, mas seu coração está sujo, impuro, sua alma está doente e longe de Deus. Não esteja apenas na igreja, mas esteja no centro da vontade de Deus. Pergunte isso a você mesmo todos os dias antes de dormir e ao acordar: eu estou no centro da vontade? O que preciso fazer pra ir pra lá?

Se você já passou por algo semelhante, deixe seu comentário. Não precisa colocar seu nome e nem citar pessoas. Estou à disposição.

Espero que depois desde post você esteja melhor. Não entre no jogo da competitividade. O maior troféu é ter o nome escrito no livro da vida. Até separei um música com esse tema.

Dê um play e ouça com seus ouvidos espirituais. Preste atenção na letra.

5 COMMENTS

  1. Vdd o que importa é a comunhão com Deus afinal;é pra ele que vivemos e fazemos sua obra que é de uma nobresa tão grande.
    Eu não buscava título; mas sim,falar do amor e o propósito que Deus tem para as pessoas, e ficaria triste se me privace disso.
    Eu me lembro como se fosse hoje,de alguns momentos que tive, que marcaram minha vida a forma que Deus trabalhou para me alcançar e guando ele me alcançou nunca sai da sua presença.

  2. Eu já passei e passo até hoje por estas competitividade as pessoas me julgam pelo o que elas são e não pelo o que eu realmente sou , Aliás as pessoas acham que ser de Deus é ir na igreja todos os dias e fazer parte de algum grupo ou ter alguma título, Elas se apoiam muito nisto, elas não se importam em saber se o outro esta bem com Deus ou não eles querem saber se a pessoa está bem com a igreja. E eu penso completamente ao contrário considerando que quem entregou o filho de Deus para ser crucificado foi um discípulo e não um incrédulo ou um impio, Eu não faço mais parte do corpo de obreiros embora eu não tenha saído por pecado apenas paguei o preço por ser sincera, Mas tenho guardado a minha fé embora as pessoas que um dia viveram comigo não acreditem, Mas eu não importo com elas, Pois não estou aqui no mundo para competir com homens, Eu fui ungida por D
    eus para competir comigo mesma na luta entre a carne e o espirito e com o diabo com o fim de dizer para o mundo todo que só o Senhor Jesus e Rei e não a igreja que frequentamos

  3. Muito bom Bruno! É como o Bp Sergio diz, se estamos sofrendo perseguições por pessoas de Deus, é Deus permitindo para crescermos espiritualmente. Como vc disse, devemos orar pela pessoa, pq se ela te persegue é pq ela não está bem naquele momento.

LEAVE A REPLY