sem-teto-eua-twitter-joganogoogle

Sem terra, sem teto e os grupos dos “sem” estão sempre na mídia, muitas vezes de forma negativa (talvez até pelo olhar dos veículos de comunicação). Não quero questionar se estão certos ou errados, mas nos EUA uma sem teto virou notícia. A mulher de 41 anos é super usuária do Twitter (a rede social dos 140 caracteres). Ela usava a rede para compartilhar sua vida, e com isso, falava das dificuldades em não se ter um lar para morar.

Walsh (a ex-sem teto) participou de um evento no início de 2011 nos EUA que reúne twitteiros, algo semelhante ao que faço em Uberlândia com o Almoço Twitter. Walsh conheceu uma pessoa que a seguia pela rede social e acompanhava sua saga. Esta pessoa a ajudou a encontrar um abrigo para morar.

A mulher de 41 anos usava seu celular e computadores de bibliotecas para atualizar seu Twitter. Ela ainda mantém no ar um blog em que compartilha sua vida difícil e os sofrimentos dos sem-tetos nos EUA. Ela é mãe de 2 filho e não os vê há 3 anos. Ao que li sobre Walsh na internet, ela tem alguns problemas emocionais, médicos e mentais. Ela já chegou a se auto-mutilar. Independente disso quero apenas destacar como as redes sociais podem ser usadas a favor do bem. Assim como Walsh encontrou um abrigo, temos tanta coisa em casa que fica ali, sem função, sem necessidade, enquanto poderia fazer a diferença na vida de alguém. É uma roupa que você não usa mais, uma bicicleta que abandonou, brinquedos que seus filhos não brincam mais, enfim, muita coisa poderia estar por aí fazendo alguém ter uma vida melhor.

Walsh ao que tudo indica ainda está no abrigo, e quando fechei este post ela está com quase 6 mil seguidores no Twitter, e o atualiza com uma frequência interessante. Além de Twitter ela também adora fazer check-in no Foursquare.

Pelo que vi desta mulher, ela não está nem aí para a segurança de suas informações, talvez até porque espera receber ajuda a qualquer momento. Em seu blog ela divulga na capa os números do seu celular e fax do abrigo onde reside. Walsh poderia ser mais uma pessoa neste universo imenso das redes sociais, mas conseguiu um lugar ao sol, ou um lugar para morar.

As vezes as redes são usadas para coisas banais, enquanto temos uma vida tão curta, tão frágil e tão passageira. Que saibamos a cada dia valorizar o que a rede tem de melhor, as pessoas. Existem muitas pessoas que não valem a pena manter como “amigo” ou “seguidor”, mas há muitos por aí que são pessoas de bem. Aproveite que 2012 está começando para inserir boas atitudes no seu dia a dia. Use a rede para ajudar, para espalhar conhecimento e fazer nossa sociedade ser um pouco melhor.

Que a cada dia mais “Walsh‘s” consigam resolver seus problemas por meio das redes.

E se você desejar dar uma espiadinha no Twitter da Walsh linkei o perfil no nome dela.

Até a próxima.

LEAVE A REPLY