Na verdade os motivos são para todos, cristão e não cristãos, pois essa história vai mexer com você.

Antes do filme A cabana estrear foi tanto burburinho que vi e ouvi, e eu tenho a maior preguiça das pessoas que querem demonizar tudo neste mundo.

Ouvi tantos comentários na rede social e também presencialmente. Muita gente falando…“esse filme não é de Deus”, “não recomendo esse filme”, “esse filme é uma afronta”, “você não vai assistir esse filme, né?”. Sinceramente, as pessoas estão numa neura tão grande. Querem apontar os erros e esquecem de olhar para si.

Quando alguém me fala mal de algo, sei lá, mas parece que me motiva a ir e ver com meus próprios olhos. E na era em que “tudo tem a aparência do mal”, qualquer filme é motivo pra criar toda uma casca e um movimento tipo “não assista tal coisa”.

Se for levar ao pé da letra, assistiríamos poucos filmes. O cinema não foi feito pra evangelização  e ponto final. Ele pode até ser usado, mas o objetivo dele é entreter. Lugar de evangelização, apelo e palavra se chama igreja, meu povo.

No cinema você paga por entretenimento. Certo?

Agora sobre o filme a Cabana não vi nada de errado, nadinha mesmo. Pelo contrário. que surpresa boa. Listei abaixo 10 motivos pra assistir o filme, que transformei em 10 verdades justamente pra combater tanto mimimi de gente sem noção.

10 verdades sobre o filme A Cabana

  1. Os valores éticos e morais são totalmente de um ambiente cristão.
  2. A igreja mostrada como pano de fundo do filme é uma evangélica tradicional americana, onde a pessoa já “nasce na igreja”. Aquilo ali é a pura realidade de lá, mas não representa a maioria da população brasileira. No filme temos pessoas que nascem com naquele ambiente cristão, mas que não conhecem de fato a Deus. O protagonista é o típico moleque que cresceu indo à igreja, vendo comportamento negativo do pai (que na igreja é uma coisa e em casa é outra).
  3. Deus é mostrado no filme personificado em uma mulher. Chocou? Claro! Estamos acostumados com a figura de um homem, com voz forte, cabelos longos. Quando Deus é mostrado em forma de mulher, negra e super bem humorada quebra demais os estereótipos, mas tudo tem uma razão. Quem for assistir ao filme, vai ver que o protagonista fica traumatizado com a figura de pai, e aí Deus precisa se figurar como mulher para conseguir transmitir sua mensagem. Achei isso formidável, porque muitas pessoas têm a figura de Deus como um cara carrancudo, mal humorado, inflexível, chega a ser chato, e não é assim. Deus está presente o tempo todo, ele amigo, ele é papai, ele é companheiro, ele é mais simples do que as pessoas imagem. A religião é que deixa Deus inacessível, chato e vingativo. Isso inclusive é citado no filme.
  4. O filme é muito complexo, denso e triste, mas é muito real. As experiências mostradas dão um choque de realidade para nós que em muitos momentos queremos e somos juízes e julgamos tudo e a todos, ainda mais na era das redes sociais. Não compreendemos as raízes do outro e só julgamos a superfície, mas quando é chegada a nossa hora, clamamos logo por perdão e queremos justificar nossos erros. Vou ter que assistir de novo pra prestar atenção em pontos que me perdi, porque muitas cenas do filme me levavam a uma reflexão tão louca, que preciso assistir novamente pra de fato ver o filme inteiro.
  5. O filme é um tapa na cara, sem dó, mas com uma sutileza que só Deus em sua infinita sabedoria consegue dar. Sabe aquele safanão da vida? Pois é, é o filme purinho. Sai de lá até meio bobo, de tanta informação pra levar na bagagem da vida.
  6. Além de ter Deus em forma de mulher, a sabedoria personificada foi um ponto alto. Ela explicar porque Deus não faz coisas ruins com os seres humanos foi algo estupendo. Realmente, sábias palavras e exemplos.
  7. O trio Deus pai, filho Jesus e Espírito Santo achei lindo, harmônico e perfeito como a Santíssima Trindade de fato é.
  8. Não tem nada do capeta, não tem nada que foge do contexto bíblico, pura balela de líderes fanáticos. Cada dia fico com mais preguiça dessa galera que “se acha”o próprio Deus na terra e quer nos guiar ao que “pode” e ao que “não pode”. Que bobeira, já que a Bíblia fala que o próprio Espírito Santo nos guiará a toda verdade.
  9. O filme é lindo, tem uma mensagem maravilhosa e todos deveriam ir acompanhado dos pais ou pessoas que ama. É uma lição de vida. Pra mim não foi mais um filme, eu sai dali questionando minhas verdades e sendo muito mais maleável e flexível com o outro.
  10. O cinema foi aos prantos sim, a maioria das mulheres choraram muito, mas apesar de eu arrepiar em muitos momentos do filme, não chorei. Cheguei na sala com a sensação de “hoje vou superar a Culpa das Estrelas” e chorar litros. Nesse aspecto de choro nem chegou perto do que imaginei, não caiu nenhuma lagrimazinha, mas a mensagem me impactou. Sai de lá pensativo demais. Vou refletir por dias pra digerir a mensagem.

Por tudo isso, recomendo que você vá assistir A Cabana. Vai ser uma experiência de vida. Talvez não mude nada sua visão da vida ou no seu interior. Mas seja aberto pelo menos a ouvir a mensagem. Sementes boas vão cair na terra, mesmo que não brotem agora, uma hora elas nascerão e serão necessárias para construir sombras em sua vida.

Não caia nessa de criticar por criticar, de não ir só porque “todo mundo está falando mal”. Sua mãe já te ensinou. Você não é todo mundo. Sempre existe algo a aprender.

Apesar de não ter a missão, o filme evangeliza, pode salvar vidas, pode dar um choque de realidade em alguns que estão na corda bamba. Independente da tempestade, permita que Deus te leve pra Cabana. Ele quer falar e transformar você.

O Filme A Cabana você assiste na Rede Cinemark. O melhor do Brasil em todos os sentidos.

LEAVE A REPLY